Archive for the Fratria Category

O que eu mandaria no Sarahah das Feiras Medievais!

Posted in Boicotes (Baghcat), Campanhas Sociais (Slógadh), Celtismo, Derruba esta Roma!, Fratria, Protestos ( Agóidí ) on 10/08/2017 by Gustavo Augusto Bardo

Seguem algumas críticas construtivas com base na adoção de um Ressurgir Identitário Celta e Íbero e com base na Integração Ativista a Lutas Identitárias de outras Minorias.

Falo por mim, embora acredite que muitos compartirão das minhas concepções.

Críticas Históricas:

Pergunta Crítica Irônica: _ Vai ter evento exaltando o Império Romano Escravista e o Período Colonial Escravista também? Porque exaltar períodos históricos não é exaltar somente suas partes supostamente “boas” _ o que depende do referencial Antropológico_ mas exaltar todo um conjunto de acontecimentos que incluem muitas passagens nefastas, as quais aliás foram bastante comuns na Idade Média como:

  • prima nocte (direito do nobre local ter a primeira noite de núpcias com a noiva do camponês ou vassalo local, o que nós entendemos hoje como crime de estupro);
  • Cruzadas, o historiador Amin Malouf retrata em As Cruzadas Vistas pelos Árabes um massacre em que os franj como eram chamados os Cruzados no mundo árabe, dizimaram em três dias cerca de cem mil civis na cidade de Antióquia, em 11 de dezembro de 1098. As Cruzadas serão exaltadas?
  • Santa Inquisição, será exaltada? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como crime de tortura;
  • A perseguição aos Cátaros será exaltada? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como preconceito religioso;
  • A perseguição aos Judeus será exaltada? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como preconceito religioso e racismo;
  • A perseguição às Bruxas (o que aliás é conteúdo de interesse étnico Celta) será exaltada? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como preconceito religioso;
  • O Malleus Maleficarum, manual da Tortura da Baixa Idade Média, será exaltado? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como preconceito religioso e crime de tortura;
  • O servilismo feudal, um dos regimes de trabalho análogos à escravidão, será exaltado? Leia o Wiki marcado antes de pensar em exaltar essa fase da sofisticação do que hoje concebemos como crime de trabalho compulsório;
  • Haverá exaltação da Peste Bubônica com recomendações de falta de higiene? Isso foi um dos episódios mais marcantes da Idade Média Europeia!
  • Haverão Fogueiras de Inquisição e Execuções em Patíbulos? Consta que eram parte do “entretenimento” medieval;

Críticas a Anacronismos:

Etnias que também devem fazer parte de uma boa Feira Medieval:

  • Árabes, Persas, Mouros, Bérberes e Turcos, pois a Expansão do Islam, se deu inclusive em terras europeias, na Idade Média, e tiveram marcante influência na Arquitetura Ibérica principalmente, além das contribuições da Medicina de Avicena (Ibn Sina) que foram essenciais para evitar a proliferação de doenças como própria Peste Bubônica, ao menos no mundo islamizado, de modo que um evento medieval em um país ibero-descendente não pode se furtar a tê-los representados;
  • Chineses, inclusive por suas inovações tecnológicas: os chineses tinham um lança-chamas em forma de dragão com um sistema de pistão que poderia ter gerado uma revolução industrial no Oriente se eles tivessem tido a ideia do motor; os chineses inventaram a pólvora e tiveram a brilhante ideia de prender um fogo de artifício em uma flecha, e com lançadeiras de várias disso se tornaram os precursores dos lança-mísseis já na Idade Média e invadiram a Coreia com isso! Para saber mais veja: Jiao-Yu, Cho-ko-nu, Canhão de Mão, ou leia o Huolongjing;
  • Japoneses e outros povos asiáticos: foi justamente na Alta Idade Média, que o Japão adotou o Sistema Imperial;
  • Povos Amérindios, afinal entre as Civilizações Pré-Colombianas por exemplo, é justamente na Idade Média Central, que surge a pujança da Civilização Maia, e além dos Toltecas construindo em 1300 D.C a cidade de Tula, uma das mais magníficas cidades da época, entre muitas outras civilizações, e também importante destacar os astecas e Tenochtitlán, cidade fundada em 1325, e que quando os espanhóis chegaram já no início da Idade Moderna, tinha cerca de 300 mil habitantes contra os 60 a 90 mil habitantes da cidade de Paris;
  • Povos Africanos, também precisam ser representados visto terem na Idade Média surgido reinos e impérios na África como o Reino de Mali, ou o Império de Gana, ou o Império de Axum, entre outras civilizações;
  • E embora eu não tenha um conhecimento profundo sobre as Etnias Aborígenes Oceânicas, tanto as polinésias, melanésias e micronésias quanto as australóides e papuas, ou os maoris, é certo que muitas já existiam na Idade Média, e seria interessante serem representadas também.

Crítica Antropológica

Não tenho nada contra Feiras ou Festas Medievais ou de quaisquer períodos cronológicos históricos, ou de quaisquer épocas, mas é pertinente que não sejam exaltadas e sim abordadas do ponto de vista crítico para que suas mazelas, muitas ainda presentes nas mentalidades contemporâneas, não sejam legitimadas como certas em detrimento das críticas sofridas ao longo de suas próprias histórias, bem como que sejam abordadas com a multiculturalidade que de fato tiveram, apesar das opressões e preconceitos das épocas, para que esses preconceitos não se repitam aos dias de hoje.

 

 

 

Anúncios

Calendário Roda do Ano : Versão Didática!

Posted in Celtismo, Fratria, Imprensa, Lei Comum on 26/03/2017 by Briogáledon

Nossa nova edição do calendário adotado em Briogáledon.

 

CLIQUE PARA AMPLIAR

ou baixe aqui: Calendário Roda do Ano – Briogáledon

Ebooks: Celtas Ibéricos

Posted in Acervo Literário, Bibliografia, Cultura e História, Fratria on 17/05/2016 by Gustavo Augusto Bardo

Bibliografia de Interesse Identitário:

PDF

 

 

 

Boletins Informativos do Território Iberkéltia (2011)

 

Que em 2015 todos sejamos a VOZ DA LIBERDADE!

Posted in Fratria, Música on 31/12/2014 by Briogáledon

Ou acesse aqui

Que todos os Celtas se recordem, a cada dia, que NÓS SOMOS A VOZ DA LIBERDADE!

Que cada um de nós, lute, a cada dia, para ter seu direito de se expressar e de sentir, respeitado.

Que preservemos ainda mais a liberdade dos seres livres, e lutemos com nossos sonhos, desejos, pensamentos, e trabalho, em prol da Natureza e dos Animais!

Que não fujamos da Batalha, mas saibamos o momento certo para cavalgar em direção aos inimigos!

Que lutemos com coragem, mas acima de tudo, com sabedoria!

Que recordemos que em situações muito piores que a nossa, nossos ancestrais fizeram feitos fabulosos!

Não deixemos que os outros nos oprimam, nos escravizem, nos controlem, sejamos íntegros e livres, pois mais vale a dignidade do que qualquer tesouro de troca!

Estejamos ao lado dos fracos e não dos fortes, pois o exercício da força é o exercício da tirania, e se curvar aos “Césares” é aceitar a servidão!

Sejamos fraternos com nossos amigos, tenhamos uma família de coração como uma imensa tribo! 

Ou acesse aqui.

Que nossas crianças sejam sadias e revelem brilhantes caminhos!

Que a sabedoria de nossos anciões e anciãs, seja a cada dia mais vívida!

Partilhemos nosso saber, façamos boas trocas com povos distantes, conheçamos novas terras, façamos cultivos produtivos, produzamos coisas maravilhosas, sejamos Celtas essa enorme diversidade de vozes livres!

E mesmo que o ano seja difícil, saibamos que Somos Guerreiras e Guerreiras e então, e não importa se vamos vencer ou perder, mas sim que vamos lutar com todas as nossas forças e com a magia mais fabulosa de toda a nossa alma livre!

Declaração de Neutralidade diante de Separatismo do Sul

Posted in Fratria, Imprensa on 27/10/2014 by Briogáledon

Diante do fato de haverem descendentes de Celtas e de Íberos nos Estados do Sul do Brasil, a saber Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, e diante da observação da existência de outros movimentos Celtistas e Iberistas nessa região,

E diante do fato de ontem, um dos movimentos separatistas da Região Sul do Brasil ter reiterado sua declaração de Independência dando margens a requisição de um referendo,

Briogáledon, no entendimento inclusive de sua responsabilidade como formadora de uma das primeiras ONGs voltadas a descendentes Celtas e Íberos das Américas, vem por meio desta a exprimir a total neutralidade, diante de quaisquer requisições de independência, não assumindo posições nem contra nem a favor mas deixando que cada povo ou grupo social formule seu destino por suas próprias escolhas e responsabilidades coletivas e assim desse modo, é recíproca a liberdade aos membros desta comunidade, podendo apoiar ou não quem assim o desejar, assim como não tomamos uma posição política nacional por entender a necessidade da Democracia e da Heterogeneidade que nos caracteriza, inclusive na aceitação da linha Irlandesa de pesquisas que demonstram serem os Celtas povos extremamente mestiços em suas origens, mantemos a coerência e evitamos os conflitos internos ou próximos referentes a esta questão.

No tocante aos Movimentos Separatistas da Região Sul do Brasil, pedimos apenas que caso optem pelo requerimento de Independência que o façam seguindo aos postulados da Legislação Internacional no tocante à Autodeterminação dos Povos que é um dos direitos humanos internacionais, e sigam todos os procedimentos dessa demanda, para o aval jurídico internacional, e se preservem de envolvimento a grupos quaisquer que possam utilizar do meio da violência, como se observou por todo o Brasil ano passado em protestos.

Mantenham o andamento pacífico atual, seguindo as propostas de requerimento de um referendo baseado nas Leis Internacionais que corroboram com essa demanda, e caso porventura o referendo uma vez aceito, efetivado, votado e havendo como resultado o voto maioritário para a independência, não se preocupem os descendentes de Celtas e Íberos que estiverem no possível novo país, pois de nossa parte a ONG poderá se desdobrar de nacional a internacional, do que depende unicamente o passo-a-passo específico que poderá assim ser estudado pelo Escritório Jurídico que já está cuidando do registro nacional da ONG.

Deixamos tranquilos os descendentes de Celtas e Íberos que residem na Região Sul, de que não serão abandonados por nós no tocante a suas identidades étnicas milenares, poderão continuar contando com nosso apoio, e no tocante à ONG estamos abertos a analisar e efetivar as condições jurídicas internacionais para que a ONG em si, voltada ao ressurgir identitário não tenha sua função social coletiva interrompida por barreiras que hoje são meramente burocráticas, pois os movimentos Celta e Íbero já estão internacionalizados desde a criação em 1961 do Celtic League, ou a criação dos Friends of Sinn Féin dos Estados Unidos da América e do Canadá, FOSF USA FOSF Canada, ou da IFDO (International Fellowship of Druidic Organizations, em tempos mais recentes, entre outras organizações e instituições, de modo que não faltam exemplos de estruturas internacionais sobre as quais nos inspirarmos.

MAS NOS MANTEMOS NEUTROS e nem este blog nem nossos canais em redes sociais farão campanhas nem contra nem a favor, tampouco divulgaremos nenhuma publicidade impressa ou eletrônica pelos nossos meios nesses sentidos.

Desejamos boa sorte e muita paz a todos!

Aos membros que ainda não estiverem a par, seguem alguns artigos sobre a declaração feita por um dos grupos separatistas ontem à noite: (os artigos abaixo são de responsabilidade exclusiva dos autores e mecanismos de imprensa em si)

Em 2014:

Anos anteriores (2012);

Celtas e Íberos: VOTEM COM COERÊNCIA!

Posted in Fratria on 03/09/2014 by Briogáledon

Como grupo tradicional e heterogêneo,

Briogáledon não adotará nenhum apoio formal a nenhum candidato referente a nenhum cargo. Portanto os membros efetivos, honorários, bem como todos aqueles Celtas e Íberos que componham esfera externa a nossa tribo, e a acompanham ou admiram, sintam-se em seus corações livres para apoiar a quem queiram ou mesmo para se oporem a tudo o mais, sendo cada pessoa diretamente responsável por sua própria vida e escolhas, e não cabendo ao coletivo de Briogáledon julgar nem avaliar nenhuma dessas escolhas.

Todavia reunimos aqui alguns subsídios para assuntos referentes aos quais Briogáledon, grupos amigos ou aliados, ou mesmo expressiva quantia de membros efetivos ou honorários se manifestaram para que cada BRIOGÁLICO ou BRIOGÁLICA bem como demais povos e tribos ao alcance desse blog, possam votar com coerência e com consciência.

Subsídios CONTRÁRIOS à Usina de Belo Monte:

Usina de Belo Monte (iniciada pelo vigente governo federal), o que aliás gerou cerca de 17 ações do Ministério Público Federal, cerca de 2 notificações da OEA, além das críticas científicas no tocante à insípida produção energética, além do aumento assustador e drástico nas ocorrências de estupros desde o início da obra, confiram as seguintes notícias:

Subsídios para a crítica CIENTÍFICA:

(Assista a todos os vídeos e leia a todos os artigos são apenas algumas horas dedicadas a se informar, para que não se arrependa durante longos quatro anos)

Subsídios CONTRÁRIOS à Transposição do Rio São Francisco (pelo vigente governo federal):

Subsídios CONTRÁRIOS às UPP

Subsídios FAVORÁVEIS ao FICA VIVO (congresso em 2012)

Subsídios FAVORÁVEIS ao VOZES DO MORRO (reportagem em 2008)

Subsídios A RESPEITO DA SITUAÇÃO do Quilombo Rio dos Macacos (o governo vigente federal tenta implantar projeto naval na área)

Subsídios A RESPEITO DA SITUAÇÃO dos quilombos em Minas Gerais:

RECOMENDAMOS AINDA EXTENSA PESQUISA não apenas a cerca dos atropelos políticos e sociais vigentes, como também de tudo o que EFETIVAMENTE FOI FEITO pois apenas diante dos fatos já acontecidos é que se pode formar um posicionamento consciente e coerente. As propostas, por melhores sejam, são sempre apenas propostas, são possibilidades de futuro, e não realidade prática, então recomendamos que TODOS OS CANDIDATOS E AS CANDIDATAS SEJAM AVALIADOS À LUZ DO QUE EFETIVAMENTE FIZERAM ENQUANTO ESTIVERAM NOS CARGOS QUE OCUPARAM!

Não nos importa o candidato ou candidata em que você votará, ou mesmo se optará pelo protesto contra o simples ato de votar. O que nos importa é que tenha acesso a informações e para mais além dessas procure saber mais antes de ceder às críticas (em geral partidariamente orientadas), busque sim o tempo pregresso, de antes sim da eleição, pois durante o período eleitoral, existe a publicidade política, e esquece-se das polêmicas, dos problemas, e as soluções efetivas e boas acabam se confundindo com as ilusões. OLHE SIM PARA TRÁS POIS É APENAS NO QUE JÁ ACONTECEU QUE PODEMOS CRIAR EXPECTATIVAS PARA O QUE AINDA SERÁ!

 

ESTE BLOG ESTÁ HOSPEDADO NO ESTADO DA CALIFÓRNIA

E ESTÁ SOB PROTEÇÃO DAS LEIS DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

 

 

Pêsames aos Irlandeses: Condolences to the Irish: Gerry Conlon

Posted in Fratria, Imprensa on 21/06/2014 by Briogáledon

Português

É com pesar e tristeza, que vemos enviar essas condolências pela morte de Gerry Conlon, cuja luta para provar a própria inocência, no caso dos Quatro de Guilford, se tornou um dos símbolos da luta dos povos Celtas, em particular dos Irlandeses, contra a injustiça, a discriminação, a segregação e a exclusão social. Esperamos que o sofrimento que ele e sua família tiveram nos anos 1970 e 1980, não se perca da memória nem dos Irlandeses, nem de seus descendentes, nem de outros povos Celtas, Íberos e outros tantos mundo a fora que padecem de injustiças semelhantes.

English

It is with regret and sadness that we send these condolences on the death of Gerry Conlon, whose struggle to prove his innocence in the case of the Guilford Four, became a symbol of the struggle of the Celts, particularly the Irish, against injustice, discrimination, segregation and social exclusion. We hope that the suffering he and his family had in the 1970s and 1980s, not to lose the memory or the Irish, or their descendants, or other Celtic peoples, Iberians and many others in the outside world who suffer similar injustices.

Nederlanse

Het is met spijt en verdriet die we naar deze medeleven bij het overlijden van Gerry Conlon, Wiens strijd om zijn onschuld te bewijzen in het geval van de Vier van Guilford, werd een symbool van de strijd van de Kelten, de Ierse bijzonder, tegen onrecht, discriminatie, segregatie en sociale uitsluiting. We hopen que het lijden dat hij en zijn familie in de jaren 1970 en 1980 had, het geheugen of de Ieren, of hun afstammelingen, of andere Keltische volkeren, Iberiërs en vele anderen in de buitenwereld die vergelijkbaar onrecht lijden niet te verliezen.

Català

És amb tot i tristesa que li enviem aquestes condol per la mort de Gerry Conlon, la lluita per demostrar la seva innocència en el cas dels Quatre de Guilford, es va convertir en un símbol de la lluita dels celtes, els irlandesos particular, contra la injustícia, la discriminació, la segregació i l’exclusió social. Esperem Que el patiment que ell i la seva família tenia en els anys 1970 i 1980, per no perdre la memòria o els irlandesos, o els seus descendents, o d’altres pobles celtes, ibers i molts altres en el món exterior que pateixen injustícies similars.

Français

C’est avec regret et tristesse que nous envoyons ces condoléances pour le décès de Gerry Conlon, dont la lutte pour prouver son innocence dans le cas de la Guilford Four, est devenu un symbole de la lutte des Celtes, les Irlandais en particulier, contre l’injustice, la discrimination , la ségrégation et l’exclusion sociale. Nous espérons Que la souffrance que lui et sa famille avait dans les années 1970 et 1980, de ne pas perdre la mémoire ou les Irlandais, ou leurs descendants, ou d’autres peuples celtes, ibères et bien d’autres dans le monde extérieur qui souffrent des injustices similaires.

Español

Es con pesar y tristeza que le enviamos estas condolencias por la muerte de Gerry Conlon, cuya lucha para demostrar su inocencia en el caso de los Cuatro de Guilford, se convirtió en un símbolo de la lucha de los celtas, los irlandeses particular, contra la injusticia, la discriminación , la segregación y la exclusión social. Esperamos Que el sufrimiento que él y su familia tenía en los años 1970 y 1980, para no perder la memoria o los irlandeses, o sus descendientes, o de otros pueblos celtas, íberos y muchos otros en el mundo exterior que sufren injusticias similares.

poster2014

Briogáledon abre votações sobre Pauta ONG em seu Conselho

Posted in Fratria, Imprensa on 23/05/2014 by Briogáledon

Os  conselheiros e conselheiras de Briogáledon,  estarão a partir da data de hoje dia 23 de maio de 2014 até à data limite de 30 de junho de 2014, ou até que todos votem, decidindo a pauta aberta sobre se Briogáledon deve ou não articular (inclusive junto a outros grupos) e fundar uma ONG Identitária e Étnica.

Caso a pauta seja aprovada e a ONG seja fundada, o que ainda demandará debates quanto a estruturas e consultoria advocatícia especializada, dadas as peculiaridades étnicas da associação, Briogáledon continuará existindo normalmente como uma comunidade tradicional.

Caso aprovada a pauta a favor da ONG, essa poderá admitir e envolver também membros de outros grupos e ativismos afins, mas vinculados a ações diferenciadas de nossa tribo.

  • Data de Início das Votações Online: 23/05/2014
  • Data de Término das Votações Online: 30/06/2014
  • Critério de Término Antecipado: quando todos os conselheiros e conselheiras somados ao líder, tiverem votado.

As votações ocorrem no até então denominado Conselho de Briogáledon, por recurso virtual, e votam o líder, e os conselheiros e conselheiras até então nomeados(as) por blog E/OU por email, e no momento totalizando cerca de 11 membros, estando esse número em contínua ampliação devido a se fundamentar na apresentação das 04 provas.

Esta postagem visa ao acompanhamento deste informe por membros externos, bases em implantação, escritório advocatício, e por povos e grupos amigos.

poster2014

 

 

Desculpe, a minha opinião não é “humilde”!

Posted in Fratria, Imprensa on 19/02/2014 by Gustavo Augusto Bardo

Na qualidade de ceannaire ou seja de liderança tradicional Celta, de Briogáledon, venho a responder a todos os críticos, em geral militantes ideológicos, que para nos criticar começam com a exaltação de uma pretensa “humildade” ou suposta “modéstia”. Primeiramente deixamos claro que o culto argumentativo a valores morais de ordem subjetiva ou espiritual é um dos resquícios da Idade Média que evocava como princípios para a evolução espiritual os ideários de um cristianismo servil, silencioso, mudo, e principalmente não-crítico, em que para ser supostamente mais agraciado pelas forças divinas o fiel necessitava abnegar dos luxos e vaidades, ser mais caridoso (principalmente com o dízimo), e viver de modo mais simples, humilde, modesto, sem muitos requintes, ainda que a verdade dos Nobres e do Clero, com raras exceções fosse bem outra. Esse mérito se deve dar aos reformistas Católicos e depois enfim aos Protestantes: que em nenhum desses dois casos defenderam uma humildade silenciada e ignorante, mas muito pelo contrário defenderam o direito ao conhecimento e ao desenvolvimento de uma argumentação filosófica coerente, densa, e bem fundamentada, e então tanto os Goliardos Católicos quanto os Filósofos Protestantes compuseram boas contribuições ao que hoje concebemos como Pensamento Racional Crítico, embora a parte de Crítica Social tenha exigido os membros de pensamentos da Vanguarda Social, desde Lev Semenovitch Vigotski que foi um dos mais brilhantes cientistas bielo-russos a ser justamente perseguido pelo Governo Bolchevique, e ironicamente hoje é apontado como o pai das filosofias subjacentes à inclusão social, até ativistas a uma infinitude de ativistas críticos que nos mais diferentes setores sociais vem ainda hoje pondo o sistema em cheque-mate com suas críticas contundentes. Então, como represento 17 séculos de famílias lutando contra o servilismo feudal pelos meus ancestrais CeltasÍberos libertários, dos quais sou mera continuidade com pouca diferença prática, talvez apenas atualizada às ferramentas do meu dia a dia, sinto informar a esses críticos que a minha opinião não é nada humilde! Eu estudei e continuo estudando muito a cada dia, e considero que na média geral tenho um bom conhecimento de legislações nacionais e internacionais, embora eu considere que o ideal seria não apenas as legislações serem mais simples como também toda a população de um país, a partir de certa idade anterior mesmo à idade adulta, ter um amplo conhecimento das Leis ao menos as de seu país, Estado e município, pois são essas as regras pelas quais deve viver! E se alguém discordar de alguma, que antes de desobedecê-la que siga os trâmites da legalidade, oferecendo projeto de lei junto à porcentagem do eleitorado competente que estiver vigente como mínimo naquele dado período. Mas não basta conhecer as leis, é preciso também antes de criticar um movimento, um projeto, uma ação, ter amplos conhecimentos acerca de outros semelhantes, é preciso ter consciência de que os órgãos Estatísticos para referência devem ser científicos e não estarem sujeitos a parcialismos ou unilateralidade, devem ser independentes e bem criteriosos, e então por isso prefiro as estatísticas econômicas do DIEESE e me reservo o direito de rejeitar as do IBGE, um órgão sistêmico do próprio governo. É preciso que se esteja atento ao que outros países fazem, mesmo porque muitas vezes o fazem em panoramas bastante piores, e de repente se há soluções contra a Fome sendo implementadas cooperativamente no Sahel africano, nas áreas sub-Saharianas em uma agroecologia cooperativa, permacultural e sustentável, talvez isso possa ter sucesso aqui, e então é melhor conhecer melhor aquilo do que ficar exaltando as Bolsas Assistencialistas Governamentais que na prática não resolvem o problema da fome, apenas criam uma dependência social em relação a um governo paternalista! E se eu quero ver respostas argumentativas quero necessariamente conhecer projetos mediante estatísticas científicas baseadas em dados amostrativos reais, e não em informações verbais obtidas nas portas das casas, quero analisar métodos de pesquisa, esquemas de gestão, medir os modelos organizativos com base na solução efetiva dos problemas, e enquanto houver solo seco, árido, sem cultivo, e populares vivendo de bolsas assistencialistas, me desculpe, mas isso não é solução para fome nem miséria, pois o meio em que vivem continua pobre, suas realidades não tiveram mudanças significativas  que me permitam especular um futuro melhor! E buscar conhecimento seja fazendo cursos por Harvard University, University of Texas at Austin, Tsinghua University ou hoje em dia cursando mediante a Université Catholique de Louvain   justamente um curso sobre recursos naturais e desenvolvimento sustentável, entre outras trocas de conhecimento também com outras minorias étnicas e culturais, ou o aprendizado direto na organização da comunidade que me é responsabilidade social, tudo isso, faz com que minha opinião não seja humilde mas sim assentada em muito estudo, dedicação, e abertura a novos conhecimentos, que por mais eu julgue ainda aquém do ideal é mais do que críticas munidas de subjetivismo moral medievalizado e pessoal que fazem referência a uma época em que se achava que a Terra era plana e chata, e que pessoas como Giordano Bruno e Galileu Galilei eram doidos e precisavam ser perseguidos, e enfim, ao longo de séculos foi o outro mundo, argumentativo, e científico, que mostrou o quanto estavam errados e equivocados aqueles que os criticaram.

Não não, não queiram ter opiniões humildes … queiram estudar muito e muito e muito, e terem opiniões sábias, não há vantagem alguma em se manter na ignorância, deixar de conhecer apenas dá poder àqueles que conhecem tão bem, que fazem uso para suas próprias ganâncias; o único modo de combater a ganância no mundo, é aprendendo tudo sobre todos e usando o saber humano para construir verdadeiramente uma sociedade igualitária. Não se privem de ser sábios, estejam abertos ao conhecimento, e hoje em dia, só não aprende, quem não quer, pois quem quer saber, corre atrás, quem realmente quer ser sábio, não repassa a opinião dos outros, mas constrói a cada dia a sua própria, e a mantém assim, livre, em eterna correção.

Campeamento de Briogáledon em Nova Lima será feito apenas com anuência Advocatícia

Posted in Fratria, Nova Lima on 18/02/2014 by Briogáledon

Briogáledon decide consultar a escritório advocatício cível e penal as possibilidades e restrições à fixação do campeamento (*ocupação comunitária livre e colaborativa Celta; estruturação social em modelo de tuath ou seja tribocampo), ainda que a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho,  e a Resolução 47/135 da Organização das Nações Unidas, reconheçam o direito a minorias étnicas de foro tribal auto-reconhecido a manterem suas próprias estruturas tradicionais coletivas e suas próprias tradições e costumes, respeitadas as Leis Internacionais Universais.

Desse modo, Briogáledon decide evitar a confrontação entre o Direito Público e o Direito Privado, no tocante às responsabilidades com eventos e atividades comunitárias internas, bem como a confusão para com sua legitimidade cultural e étnica, uma vez que a despeito de Legislações Internacionais serem maiores e soberanas, e ratificadas no Brasil total ou parcialmente, não sejam ainda de grande domínio mesmo por membros da governabilidade. 

Problemas Enumeráveis

  • Da Vitaliciedade dos Cargos Tradicionais, impeditiva da sobreposição de uma estrutura de associação jurídica civil. Ainda que Briogáledon mantenha aberta a discussão por uma ONG étnica de identidades Celta e Íbera, e já disponha até de propostas de sigla e de estatuto, ata e equipe inicial, não deseja sobrepôr ambas as estruturas, porque isso violaria os próprios propósitos Identitários da própria comunidade;
  • Da preponderância, OU NÃO, de haver uma associação jurídica civil formal para o Campeamento em parcela do casarão então disponibilizado por nosso membro, e no caso, nosso ceannaire (kénaira; liderança tradicional);
  • Da responsabilidade, por pessoa física ou jurídica, de eventos comunitários no espaço do Campeamento: festividades do Samhain, Imbolc, Bealtaine Lughnasadhworkshops, oficinas, palestras, cursos, sejam gratuitos ou em nome de algum membro pessoa física; das Óenach no espaço do Campeamento;
  • Do Campeamento munido de um espaço destinado a reuniões e atividades didáticas coletivas, e de outro espaço ao ar livre destinado a eventos cíclicos festivos e tradicionaisnecessidades e formalidades, implicâncias dessas finalidades;
  • Da fixação de Bandeiras Étnicas no frontispício do Campeamento na parte didática, frontalmente à rua, para a identificação da ocupação étnica;
  • Da fixação dos Tótens “Menires” com Estelas Tradicionais na entrada interna do Campeamento na parte didática, e outros murais que se fizerem pertinentes;
  • Da necessidade de fixação, OU NÃO, de placa que identifique ser o Campeamento uma comunidade tradicional, e em quais termos legais;
  • entre outras dúvidas e questões mais.

Esses são os principais fatores que serão submetidos a avaliação advocatícia antes de tomada qualquer decisão pelo campeamento.

Todavia, as reformas pertinentes a esse continuarão sendo feitas no casarão disponível, uma vez que se entendem como benfeitorias de todo modo úteis, e que sirvam tanto ao campeamento tradicional quanto a uma associação jurídica civil, ou mesmo à residência em si tal como já se ocupa pelo nosso ceannaire