Archive for the Bibliografia Category

Algumas Referências de Literatura Celta

Posted in Acervo Literário, Bibliografia on 06/07/2017 by Gustavo Augusto Bardo

História do Druidismo do Paleolítico à Idade Antiga:

– Vestígios Arqueológicos: efígies, dómens e menires escritos em alfabetos arcaicos Celtas, caso da escrita Picta (Proto-Celta) ou em Ogham, no caso das Irlandas.

Resquícios Medievais de Druidismo e sobre a História e Folclore de Povos Celtas, ou os movimentos de Ressurgir Irlandeses, ALGUNS EXEMPLOS:

– “Ulster Cycle” (Ciclo de Ulster). Século VII D.C;
– Togail Bruidne Dá Derga (The Destruction of Da Derga’s Hostel), pertence ao Ciclo de Uslter;
– Táin Bó Cúailnge (em português: O ataque ao gado de Cooley). Século VII;
– Nennius. “Historia Brittonum” ou “History of the Britons”. Datada entre os século VII e IX) e gerando literatura folclórica Druídica entre os séculos XI e XVII;
– Immram Brain (maic Febail) (The Voyage of Bran (son of Febail)), a Viagem de Bran. Século VII a VIII. Pode ter influenciado a Viagem de São Brandão, posterior;
– “Livro de Taliesin” (datado entre os século X e XIV);
– “Mabinogion” (hoje datado entre 1060 e 1200);
– Culhwch e Olwen (em galês Culhwch ac Olwen, em inglês Culhwch and Olwen. 1110. O conto está redatado em galês médio e sobrevive em duas cópias muito parecidas presentes nas duas coleções mais importantes de literatura medieval galesa, o Livro Branco de Rhydderch (c.1350) e o Livro Vermelho de Hergest (1375-1425). Apesar da data relativamente tardia destes manuscritos, análises linguísticas dos textos indicam que o conto original pode ter sido escrito por volta de 1100;
– “Leabhar Gabhála na hÉireann” (Livro das Invasões da Irlanda, recopilado por monges no Século XII);
– Acallam na Senórach (Irlandês Contemporâneo: Agallamh na Seanórach, em inglês The Colloquy of the Ancients, Tales of the Elders, etc. ), Século XII.
– Book of Leinster (Lebor Laignech). 1160;
– “Trioedd Ynys Prydein” (As Tríades Galesas”, datado do Século XIII);
– The Book of Ballymote (Irlandês: Leabhar Bhaile an Mhót), 1390 ou 1391, próximo da aldeia de Ballymote, agora em County Sligo, então na “tuath” (tribo, povoado) de Corann;
– Great Book of Lecan (Grande Livro de Lecan). Entre 1397 e 1418, Castle Forbes, Lecan (Lackan, Leckan; Irlandês: Leacan) território de Tír Fhíacrach, próximo àatual Enniscrone, County Sligo;
– Anais dos Quatro Mestres (Annala Rioghachta Éireann): Abarca o período que vai do Dilúvio – localizado no ano 2242 a.C. – até 1616 d.C. É uma recompilação de anais escritos anteriormente, com a adição de alguns textos originais, feita em 1632-1636, no mosteiro franciscano do condado de Donegal, na Irlanda. O autor principal da obra foi Mícheál Ó Cléirigh, assistido por Peregrine O’Clery, Fergus O’Mulconry e Peregrine O’Duignan, entre outros. Existem várias cópias dos manuscrito, conservadas no Trinity College, na Real Academia de Irlanda e no University College Dublin. A tradução mais conhecida para inglês foi feita pelo historiador irlandês John O’Donovan, no séc. XIX.
– Foras Feasa ar Éirinn – literally “Foundation of Knowledge on Ireland”, mais antigo livro conhecido até então sobrea História da Irlanda, narra do Século V até ao século XII. A versão de Geoffrey Keating foi completada em 1634;

Folcloristas:

  • Eochaidh Ua Floinn (936–1004) from Armagh – Poems 30, 41, 53, 65, 98, 109, 111
  • Flann Mainistrech mac Echthigrin (morreu em 1056), leitor e historiador do Monasterboice Abbey – Poems ?42, 56, 67, ?82
  • Tanaide (morte por voltade 1075) – Poems 47, 54, 86
  • Gilla Cómáin mac Gilla Samthainde (fl. 1072) – Poems 13, 96, 115

Anais Irlandeses

– Os Anais de Ulster são crónicas da história medieval da Irlanda.Século V ao XVI. Essas crónicas apresentam dados referentes ao período compreendido entre 431 e 1540. Sabe-se que as crónicas até 1489, foram compiladas já no século XV pelo amanuense Ruaidhri Ó Luinín;
Cópias manuscritas dos anais existentes incluem as seguintes:

– OUTROS ANAIS HISTÓRICOS IRLANDESES:
Anais de Boyle
Anais de Clonmacnoise
Anais de Connacht
Anais dos Quatro Mestres
Anais de Inisfallen
Anais de Loch Cé
Anais de Monte Fernandi, ou Anais de Multyfarnham
Anais de Roscrea
Chronicon Scotorum
Anais de Tigernach
Os Anais da Irlanda pelo frei John Clyn
Anais de Dudley Loftus
Os Breve Anais de Donegal
Leabhar Oiris
Anais de Nenagh
Livro de Mac Carthaigh
Cogad Gáedel re Gallaib (grande parte)
Anais Fragmentários da Irlanda (partes)
Anais de Dublin de Inisfallen
Os Anais da Irlanda por Thady Dowling
Breve Anais de Tirconaill
Breve Anais de Leinster
Annales Hibernie ab anno Christi 1162 usque ad annum 1370, ou Anais de Pembridge
Annales Hiberniae, ou Anais de Grace
Memoranda Gadelica
Annla Gearra as Proibhinse Ard Macha
Um Fragmento dos Anais irlandeses

Outros que contêm material analístico são:

Leabhar Bhaile an Mhóta
Lebor Glinne Dá Loch
Lebor Leacáin
Leabhar Uí Dhubhagáin
Caithréim Chellacháin Chaisil
Leabhar na nGenealach

Entre os anais que existiram mais foram perdidos estão:

Anais da Ilha dos Santos
Anais de Maolconary
Livro de Cuanu
Livro de Dub-da-leithe
Livro dos Monges
Leabhar Airis Cloinne Fir Bhisigh
Leabhar Airisen
Leabhar Airisen Ghiolla Iosa Mhec Fhirbhisigh
Sincronismos de Flann Mainstreach
Crônica da Irlanda

Século XIX em diante:

– CRANE, T. F. ANCIENT CUKES, CHAKMS, AND USAGES OF IEELAND. 1890.
– HULL, Eleanor. Pagar Ireland. 1908.
– SQUIRE, Charles. CELTIC MYTH AND LEGEND (Mitos e lendas Celtas). 1910. (recomenda-se a edição prefaciada pela especialista Sirona Knight).
– TREGARTHEN, Enys. North Cornwall Fairies and Legends. 1906.

Entre muitos outros estudos e livros redescobertos.

 

 

Anúncios

Ebooks: Celtas Ibéricos

Posted in Acervo Literário, Bibliografia, Cultura e História, Fratria on 17/05/2016 by Gustavo Augusto Bardo

Bibliografia de Interesse Identitário:

PDF

 

 

 

Boletins Informativos do Território Iberkéltia (2011)

 

BOUDICA, de Manda Scott: a Mulher Celta em sua Imensidão!

Posted in Bibliografia on 11/03/2014 by Briogáledon

Primeiramente, deixemos claro uma coisa cuja compreensão é preponderante: antes de ler a trilogia “Boudica” é preciso que você deixe de lado todo o mundo Ocidental de que faz parte! Sim, esqueça por um momento que existem Senado, Câmara de Deputados, burocracia, camiseta de gola redonda, impostos, tributos e taxas, moeda, cimento, e todo um monte de coisas que procedem do falecido Império Romano, esqueça o Direito Romano, esqueça a Filosofia e a Ciência Política de gregos e romanos, pois tudo isso não te representa mais, agora você estará conhecendo o lado dos invadidos, o lado dos povos escravizados, o lado dos povos que reagiram a séculos de crueldades, estupros, torturas e corrupção, você vai mergulhar de cabeça dentro da cultura, da sociedade, do olhar, dos sentimentos, de um dos povos mais guerreiros de toda a história humana!

Boudica, é a barca romanceada e ficcionada, que te levará ao porto desse povo bravio e honrado chamado os Celtas! Parcialmente baseada na História conhecida da época, parcialmente baseada nas lendas, a trilogia Boudica traz a introspecção característica de uma das melhores autoras do gênero policial da Escócia, a autora Manda Scott,  para dentro do que é a essência da alma Celta, a essência da voz dos ancestrais dela e de muitos dos leitores!

Boudica é mais que uma trilogia … Boudica é o regresso a um caminho ancestral, a um europeu que era nativo e tinha valores semelhantes ao de outros povos nativos, a um povo milenar que não conhecia a falta da liberdade, e que diante da possibilidade de sua perda, preferiu pegar em armas e se erguer furiosamente em uma luta desesperada, e preferiu até mesmo a própria morte, do que ver-se cativo nas próprias terras em que se sepultavam seus pais e avós!

Boudica traz em si embutidas pesquisas que afloram, de um Celta mestiço, de um celta de sangues milenares e diversificados, com várias feições e cores de pele, com vários ancestrais, pesquisas hoje que sabem que temos haplogrupos africanos neolíticos E1b1b Tuaregue e T Etíope-Somali, que temos haplogrupos asiáticos (mas ruivos) R1b Tocariano, que temos haplogrupos paleolíticos I2a1 Ibero-Sardínio e I2a2 Danúbio-Dinárico, que temos essa mistura dentro de nós Celtas, e que mesmo assim nos víamos como um só povouma só identidade, em uma só luta por liberdadeBoudica também traz em si toda uma Antropologia Cultural dos povos Celtas diferenciando no comportamentos os povos das Ilhas Britânicas dos seus primos Gauleses, por exemplo, ou dos Belgas, etc., traz as coisas importantes, mostra os limites da lealdade ou a traição aculturadora, faz uma abordagem de Psicologia Social que é bastante atual e ainda aplica-se a dilemas vivenciados por povos Celtas remanescentes aos dias de hoje!

Boudica é a retrospectiva mais fabulosa jamais escrita de todo o povo Celta, a partir da história ou lenda de uma das mais guerreiras de suas mulheres: Breaca Níc Graine, mais conhecida como Boudica a Rainha-Guerreira dos Icenos (Eceni).

Boudica começa com o volume “Águia”

BOUDICA_1287669089P

A capa azul, como a tintura sagrada dos Celtas

Neste volume, observamos a passagem de Boudica de criança a adulta, na concepção da maturidade experimental dos povos Celtas, uma maturidade que não é feita de idades, mas de vivências, uma maturidade arraigada nos pensamentos mais íntimos de um povo livre para amar, livre para ser amigo, e que se sentiu preso à sina da luta, enraizado no dever sagrado de dar início a uma das maiores guerras de resistência sistemática às estruturas de um império invasor e atroz. Aqui, isolamentointrospecçãomisticismosabedoria conflituam-se com violênciaganânciatraição rebeldia e criam esse espaço único de um encontro entre mundos que não se resume a inimigos em lados opostos, mas cria a necessidade de um discurso caótico, em que água e lama se misturam fazendo a vista turva e criando as ilusões que permeiam os sonhos e as dúvidas.

Vejamos o que diz sua contra-capa:

“Tudo indica que temos em mãos uma nova série tão encantadora quanto O Senhor dos Anéis. Na verdade, acho que será ainda melhor.” (Scotland on Sunday)

“Boudica é uma invocação incrivelmente imaginativa da história secreta da Grã-Bretanha. Um livro magnífico que revela o que há de melhor e de pior em todos nós.” (Val McDermid)

“Um romance espetacular, repleto de paixão, intriga, sabedoria e grandes feitos heroicos da humanidade.” (Jean Auel)

“O que mais me impressiona em Boudica é a perfeita fluência com que Manda Scott desenvolve a narrativa. É como se ela fosse uma testemunha ocular narrando acontecimentos verdadeiros que efetivamente presenciou e dos quais participou. Tudo é absolutamente convincente e cativante.” (Steven Pressfield)

“Obra extraordinária que combina magistralmente história e imaginação. Trata-se de uma narrativa fascinante de um mundo no qual um perigo e uma crueldade inacreditáveis caminham lado a lado com a magia, a espiritualidade e os profundos laços humanos. Houve momentos em que quase chorei e outros nos quais me senti imensamente orgulhosa de ter nascido numa tradição em que as mulheres eram guerreiras. Leitura obrigatória!” (Jenni Murray, BBC Woman’s Hour)

“Uma aventura maravilhosamente bem pesquisada, cuja história é pintada com enérgicas pinceladas e cuja descrição dos personagens é traçada com um tom mais intimista” (Diva Magazine)

O próximo volume é uma ruptura violenta nessa ilusão turva, é o choque agressivo e sangrento dos dois mundos, quando as atrocidades se tornam evidentes e o livro impactante, é quando as faces mais obscuras de um império invasor se tornam a legitimação da mais brava das resistências e de repente a sociedade que parecia primitiva e por demais simplista desponta com uma natural sobriedade dos povos cujas resistências realmente mereçam o epíteto de heróicas!

E então chegamos a Touro

BOUDICA__1305762274P

E nessa capaz vermelha como sangue … aqui neste volume, você precisará estar ciente, de que as crueldades que são narradas, realmente aconteciam a nosso povo…

“Evoluindo neste segundo volume para se tornar uma das mais audaciosas aventuras recentes na ficção histórica, a narrativa ricamente contextualizada e precisamente traçada mostra que a história romana conserva a capacidade de exibir um paralelo distante, embora distorcido, da nossa era neoimperial é um livro forte e sofisticado.”  (Independent)

“Manda Scott claramente tem estômago para o combate, o que é pré-requisito óbvio para narrar a história da grande rainha guerreira da Grã Bretanha, exterminadora de romanos…. Da mesma forma que seu predecessor __ Águia __, Touro recria algo precioso, trevoso …. ao trazer à tona Boudica e sua implacável personalidade, e estabelecer a ação num contexto plausível e detalhado de druidas, videntes, visões e invasores romanos. Scott detalhou o intangível… a história se desenvolve em direção a um clímax exuberante.” (Glasgow Herald)

“Não é fácil obter perfeito equilíbrio entre fatos históricos e ficção, mas Manda Scott consegue alcançar esse resultado no segundo romance da celebrada trilogia BOUDICA … A autora tece uma teia de ficção convincente ao redor dos eventos da ocupação romana da Grã Bretanha… Aprofunda-se bem mais do que o ficcionista histórico médio na psiquê de sua personagem e revela uma rainha guerreira exaltada e seu povo, preparados para governar a Britânia até o amargo fim.” (Ink)

Verde como as florestas e a natureza é a capa de Cão, o terceiro volume 

CAO_1310228441P

Agora, os dois mundos já estão mais do que mergulhados em conflitos, enquanto um se vale das táticas mais vis para não se ver humilhado diante da fantástica resistência, os outros tentam reconstruir o que foi amarguradamente arrancado com violência e crueldades de seu seio, para lutarem, se preciso até à morte, para serem livres… mais uma vez livres, ainda que suas liberdades sejam no mundo dos ancestrais e espíritos…

“Uma das mais audaciosas aventuras da ficção histórica… Scott celebra o matriarcado místico da tribo britânica com luxuriante lirismo e desenvoltura.” (Independent)

“Entre os recentes romances históricos situados na época da Roma Antiga, este é, inegavelmente, o melhor.” (Mail on Sunday)

“A beligerante heroína britânica dos tempos romanos, o empecilho das Legiões, oferece um tema fascinante nas mãos implacáveis de Manda Scott… a trilogia BOUDICA é um grito de liberdade recoberto de prosa lírica e sensível.” (Oxford Times)

“As descrições de Scott estão repletas de atmosfera e evocação… Podemos sentir o poder dos rituais pagãos quase como se deles estivéssemos participando”. (Sunday Herald)

Se você tiver coragem, leia estes livros, no entanto, se você for uma pessoa medrosa, talvez se torne valente a partir desta leitura… 

ESTA É A ENERGIA DOS NOSSOS ANCESTRAIS CELTAS! Talvez eles sejam teus também, talvez em algum lugar de ti, esse mesmo poder fabuloso esteja apenas esperando por uma só chance, uma só chance de se erguer e lutar por um sonho que verdadeiramente valha a pena!

No Brasil o livro LIVRO foi editado pela BERTRAND BRASIL, sendo três volumes: I – Águia, II-Touro e III-Cão. O volume IV – Serpente, ainda parece estar por chegar.